20 de mai de 2018

A velha rosa

Participando da blogagem coletiva da Elaine Gaspareto
Prestando atenção nos pequenos detalhes de tudo.
Assim compreendemos melhor o universo e tudo que nele está contido. 
Semana 20

À espera do tempo
Não é mais tão formosa
No entanto ainda é Rosa.
Até que o vento a dispa
Pétala por pétala
Seu vestido  quase desbotado
Rodado em godê





Quer participar também?

Clique em Reolhar a Vida para saber como
 e ler outros Reolhares.




17 de mai de 2018

Elvis Forever

Blogagem Coletiva 

Músicas da minha vida 05/12


O primeiro grande ídolo que tive foi Elvis Presley, já tinha ouvido falar do Rei do Rock, mas foi assistindo Sessão da Tarde na Globo, isso lá nos anos 70, em preto e branco, que o coração bateu mais forte.

Como não se encantar com ele? 
Era lindo, cantava como ninguém mais, dançava e seus personagens eram o sonho de qualquer adolescente. Fui  apaixonada por ele, em minha cabeça era o amigo e conselheiro perfeito. 

Colecionava tudo que encontrava sobre ele, cada recorte de revista era um tesouro já que naquele tempo não havia facilidade para informação de qualquer assunto que fosse. Algumas "amigas" até me procuravam para vender.

Antes mesmo de comprar um disco dele uma amiga me emprestou um LP da família dela, Blue Hawaii ou Feitiço Havaiano como foi chamado aqui o filme. No vídeo abaixo a música No More deste LP.




Este disco ficou várias vezes  comigo, eu emprestava meu jogo Só Compra Quem Tem do Silvio Santos e ela me emprestava o LP.

A abusada aqui tirou a foto de casamento de meus pais de uma moldura linda  para colocar uma foto dele e lá ficou por anos em cima do baú da cama, sem contar os posteres na parede. 
Ah, gente, confesso, beijava o vidro! :D

E não é que encontrei a foto no Google, assim que bati o olho reconheci.


Fala sério, como não beijar essa foto aos 12?

Fiquei desconcertada quando minha tia me contou que ele não era mais como nos filmes, era bem mais velho e que estes eram antigos, que atualmente ele vivia uma fase decadente em todos os sentidos.  Continuei amando do mesmo jeito!



Curti demais toda obra dele, todas fases tiveram seu encanto. 

Não esqueço o dia que estava lavando louça na cozinha e o Jornal Nacional anunciou sua morte aos 42 anos. Desabei diante da verdade que não queria acreditar.

A música In The Guetto é uma de minhas preferidas e a letra continua pertinente, cada vez mais.



No Gueto

Gente, vocês não entendem?
A garoto precisa de uma mão de amparo
Ou um dia ele se tornará um jovem irado
Olhe para você e para mim
Nós estamos tão cegos assim
ou simplesmente viramos nossos rostos
e olhamos para o outro lado?



Esta postagem faz parte da Blogagem Coletiva do Tacho da pepa
Quer participar ou ver outras participações?
Clique no selinho abaixo






15 de mai de 2018

Lembranças de mãe

Participando da blogagem coletiva da Elaine Gaspareto
Prestando atenção nos pequenos detalhes de tudo.

Assim compreendemos melhor o universo e tudo que nele está contido. 
Semana 19


Passa tão rápido, me lembro até hoje saindo da maternidade e chegando em casa com aquele pacotinho...Um misto de insegurança, esperança...Um desafio, tudo muda...Nós, a visão do mundo no qual colocamos uma vida e a compreensão de nossos próprios pais.

Que mãe de vez em quando não dá uma olhadinha nas fotos e outras lembranças dos filhos quando eram crianças? 

Não sabia se ria ou chorava ao reler este recadinho de Dia das Mães de quando Paulo era criança. 

Tem sempre muito amor para Reolhar nas lembranças do passado e reforçar todo afeto contido nessa longa relação.

A primeira foto feita pela maternidade


Quer participar também?

Clique em Reolhar a Vida para saber como e ler outros Reolhares.


6 de mai de 2018

Entardecer

Participando da blogagem coletiva da Elaine Gaspareto
Prestando atenção nos pequenos detalhes de tudo.
Assim compreendemos melhor o universo e tudo que nele está contido. 

Semana 18

O movimento do ônibus
não ajudou na foto
O Reolhar desta semana vai para o entardecer.

Mês passado fui visitar minha querida tia/madrinha Margarida (irmã de meu falecido pai) que amo como a minha mãe, quando estava voltando fui presenteada com um entardecer maravilhoso, pela janela do ônibus ele me acompanhou boa parte do percurso de 2 horas e meia, brindando minha alma feliz.

A idade vai chegando, tenho consciência de que toda visita pode ser a última, saí da casa dela reabastecida de afeto, uma marmitinha para o filho do almoço maravilhoso que ela preparou com tanto carinho, 2 mudas de avenca, um abraço de despedida que é como se fosse de meu pai  e a certeza de que laços são eternos, mesmo distantes ou que a vida nos separe.
As mudas são dessas belezuras

Só um entardecer maravilhoso assim para dizer poeticamente  que ao chegar ao destino já estará escuro, mas o caminho valeu a pena, quando a gente morrer daqui a pouco, tudo estará bem e sereno como o belo entardecer que nos presenteia vez ou outra.
Já estou com saudade.


Quer participar também?


Clique em Reolhar a Vida para saber como e ver outros Reolhares.


29 de abr de 2018

A última flor da paineira

Participando da blogagem coletiva da Elaine Gaspareto
Prestando atenção nos pequenos detalhes de tudo.
Assim compreendemos melhor o universo e tudo que nele está contido. 


Semana 17


Ainda que demore a última flor cairá, é seu destino, o final do milagre viver. 
Ser flor em vida, merecer o olhar de quem contempla a planta com respeito e admiração.



Quer participar também?


Clique em Reolhar a Vida para saber como e ver outros Reolhares.